E a Sanepar?

E a Sanepar?

https://www.moneytimes.com.br/a-torneira-da-sanepar-esta-secando-literalmente-e-risco-regulatorio-evapora-ganhos/

O mercado possui “vozes”.

Quando vc. quer saber o que tá acontecendo no nosso mundo, vc. liga o JN

Não é?

E vc. passa a saber das novidades na economia, na política, no futebol, etc.

Mas talvez vc. não saiba de algo, o viés do jornal.

Os jornais americanos são obrigados a declarar suas preferencias.

Econômicas, politicas.

A FOX, americana, era claramente a favor de Trump. E todo mundo o sabia.

Um trecho, no Globo: “NOVA YORK – O canal de notícias a cabo (FOX) que impulsionou a carreira política de Donald Trump…”.

Os jornais brasileiros não declinam suas preferências.

Assim como as empresas ligadas às finanças não são claras o suficiente.

Um viés político ultraliberal poderá “pautar” análises propicias ao seu meio.

Uma empresa especializada em finanças e que tenha foco em uma política mais favorável ao Estado  discordará das demandas liberais.

Mas não há qualquer empresa similar no país.

O Brasil foi tomado por uma “corrente” ultraliberal que faria corar as diversas empresas estatais mundo afora. E não são poucas, creia.

A análise que vc. poderá ler no link lá no topo, ela não é correta.

Não, a torneira não está secando, as chuvas foram bastante generosas e apesar do fenômeno La Niña.

E não só na Paraná, aconteceram chuvas abundantes no Pantanal.

O ideal é que tivesse chovido um pouco mais, aquelas queimadas não se repetiriam.

Mas a Sanepar soube economizar e suas barragens já estão com 60% da capacidade total.

“Os analistas ficaram desapontados com queda no lucro”, diz a matéria.

Não deveriam, não. Apesar da seca, apesar do racionamento imposto pelo governo paranaense, o lucro da Sanepar foi 03 (três) vezes maior que o lucro da Usiminas, por exemplo.

E para uma receita muito menor, a Usiminas é uma empresa de grande porte.

Ou seja, o lucro da Sanepar é forte e até demais.

A AGEPAR , a Agência Reguladora paranaense, ela existe e seu objetivo é harmonizar as relações entre empresas paranaenses e a população.

Faz sentido ou o povo é um “detalhe”?

Sim, muitos analistas (?) acham o povo um “detalhe”. A bem da verdade, a grande maioria dos analistas brasileiros comprou o viés ultraliberal.

Isso não é comum sequer nos EUA, até o Estado americano do Texas (ultraliberal) ira rever seus conceitos, a “coisa” não deu certo.

E é um viés errado e de curto prazo, qualquer empresa que busque maximizar  seu lucro em detrimento de seu cliente, ela erra.

Keynes já dizia isso nas relações de troca entre países. E parece que ainda não entenderam, não terão para quem vender, em breve. Mas isso a gente fala depois.

Sim, a AGEPAR pode reduzir a voracidade da Sanepar e seu lucro poderá cair, sim.

Ao invés de lucrar 03 (três) vezes o que lucra uma Usiminas, seu lucro poderá cair para “apenas” 02 (duas) vezes.

Triste isso, não?